X

Era Lula, A: Crônica de um Desastre Anunciado

Editora: GIRAFA - ESCRITURAS (veja mais livros desta editora)
Autor(es): Ipojuca Pontes (veja mais livros deste autor)

De: R$ 39,00 Por: R$ 31,20 Em 1x de: R$ 31,20 No boleto: R$ 31,20

Comprar
Em estoque: Previsão de postagem em até 1 dia útil após a confirmação do pagamento, mais o tempo de transporte.
Consulte aqui o valor do frete e prazo de entrega do produto
Opção de parcelamento via cartão de crédito
  • 1x de R$ 31,20 sem juros
Avalie:

Ficha técnica

Código de barras:
9788577190133
Dimensões:
1.50cm x 14.00cm x 21.00cm
Edição:
1
Editora:
GIRAFA - ESCRITURAS
ISBN:
8577190137
ISBN13:
9788577190133
Número de páginas:
278
Peso:
345 gramas
Encadernação:
Brochura

Sinopse

A era Lula é um levantamento crítico do governo petista de Luiz Inácio Lula da Silva, iniciado antes mesmo de sua posse. O livro, que tem prefácio do filósofo Olavo de Carvalho, está dividido em cinco capítulos, que abordam, em detalhes, as questõeséticas, políticas, econômicas, diplomáticas e culturais de um dos governos mais problemáticos da história do Brasil republicano. Os textos reunidos no livro são exemplos de como o conhecimento de história e teoria política capacitou o autor a prever acontecimentos opostos aos proclamados pelas falas do atual presidente, com destaque para a inconsistência de um discurso pautado pelo moralismo e promessas bombásticas. O conhecimento da história da Revolução Russa, do chamado socialismo real e suas conseqüências políticas, sociais e econômicas fez com que Ipojuca Pontes conseguisse diagnosticar e prever aquilo que se tornou rotina no atual governo: sob um disfarce neoliberal pouco convincente, o uso de táticas e manobras autoritárias pela presidência e não poucos de seus demais membros. Ipojuca Pontes é jornalista e cineasta. Produziu e dirigiu uma dezena de filmes nos anos 1970 e 1980, e também produziu algumas peças de teatro. Autor de vários livros. Iniciou no jornalismo nos anos 1960, como colunista dos jornais Correio da Paraíba e Diário Carioca, onde, em 1965, assinou a crítica de cinema. A partir de 1987, passou a escrever nos jornais O Estado de S. Paulo e Jornal da Tarde e em vários sites da mídia eletrônica.